O Prémio de um Belo Livro

UNESCO premeia o “coração árabe” do poeta e ensaísta português Adalberto Alves – Cultura – PUBLICO.PT.

Acabei há dias de ler, pela segunda vez, este belo livro que adquiri em 1992.

De todos os poemas o meu favorito é um (o qual já conhecia de uma canção do Janita Salomé) de autoria do poeta escalabitano Ibn Sara que aqui transcrevo:

 

A Brisa e a Chuva

Buscas consolo no sopro do vento?
Em sua aragem há perfume e almíscar
Que até ti vem, ataviado de aromas,
Fiel mensageiro da tua doce amada.

O ar prova os trajes das nuvens
E escolhe um manto negro.
Uma nuvem prenhe de chuva
Acena ao jardim, saúda-o
Vertendo lágrimas nas risonhas flores.

A terra apressa a nuvem
Para que lhe acabe o manto.
E a nuvem com uma mão
Entretece fios da chuva
E com a outra vaio-o enfeitando
Com um bordado a flores.

 

De entre as muitas passagens, de grande beleza, nos três primeiros capítulos, ressalvo uma do primeiro (o mais pessoal) que me tocou particularmente:

“(…) essa gente, que nos antecedeu, de que falam as lendas, quase sempre de amores infelizes, como infeliz foi o destino que a marcou, e que, todavia, está bem presente no património mais caro que temos, a língua portuguesa.”

E eu acrescento: oxalá assim seja por muitos séculos.

Anúncios
This entry was posted in Poesia.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s